ABERTURA.

O 16º. Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo, organizado pela Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor) nos dias 7 a 9 de novembro de 2018,  tem como tema “Pesquisa em Jornalismo: dos conflitos em pauta aos conflitos em campo”.


O tema será abordado na conferência de abertura, em 7 de novembro às 19h, pelo Prof. Dr. John S. Bak, intitulada “Journalistic Narratives about War and Conflict” (Narrativas Jornalísticas sobre Guerras e Conflitos). Professor da Universidade de Lorraine, na França, há cinco anos ele dirige o projeto de pesquisa Literary Journalism and War,

JOHN S. BAK

(Universidade de Lorraine – França)

ReportAGES, com apoio de várias instituições de pesquisa internacionais, como o Oxford Centre for Life-Writing (Wolfson College, Oxford University), o Medill School of Journalism (Northwestern University), o ReSIC (Université Libre de Bruxelles) e o Experimental Media Lab (Academy of Fine Arts Saar.

 

Esse projeto já produziu quatro conferências internacionais em Nancy (2014, 2015), Oxford (2016) e Malaga (2017, e dois livros até o presente momento: Literary Journalism and World War I: Marginal Voices and Literary Journalism and Africa’s Wars: Colonial, Decolonial and Postcolonial Perspectives (Nancy: Presses Universitaires de Nancy – Éditions Universitaires de Lorraine, 2016, 2018), sendo que dois outros se encontram em fase de edição (Latin American Wars: Revolutions, Retributions, Resignations e Spanish Civil War). 

Bak é um dos principais estudiosos do jornalismo literário internacional. Presidente fundador da International Association for Literary Studies (IALJS) em 2006, é atualmente membro do Conselho Consultivo de Estudos de Jornalismo Literário. Ele é coautor, com Bill Reynolds, da principal obra que traz uma perspectiva internacional sobre o tema Literary Journalism across the Globe: Journalistic Traditions and Transnational Influences (Amherst and Boston: University of Massachusetts Press, 2011. xvi + 298 pp.). O pesquisador está entrando no seu segundo ano como Chaire Franco-Brésilienne na Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP).

 

English

Organized by the Brazilian Association of Journalism Researchers (SBPJor), the 16th Brazilian Journalism Researchers National Conference´s theme is "Research in Journalism: From Agenda Conflicts to Conflict in the Field". The conference will be held from November 7 to 9th, 2018, in São Paulo, Brazil.

 

The keynote speaker, Dr. John S. Bak, is professor of the Université de Lorraine, France, will address the theme “Journalistic Narratives about War and Conflict”. Bak’s long-term project on Literary Journalism and War, ReportAGES, has enjoyed the support of several leading international institutions in media and journalism studies, such as the Oxford Center for Life-Writing (Wolfson College, Oxford University), the Medill School of Journalism (Northwestern University), the ReSIC (Université Libre de Bruxelles), and the Experimental Media Lab (Academy of Fine Arts Saar).

This project has produced four international conferences in Nancy (2014, 2015), Oxford (2016) and Malaga (2017), produced two books (Literary Journalism and World War I: Marginal Voices and Literary Journalism and Africa’s Wars: Colonial, Decolonial and Postcolonial Perspectives (Nancy: Presses Universitaires de Nancy – Éditions Universitaires de Lorraine, 2016, 2018) – and two more are currently in production (one on Latin American Wars: Revolutions, Retributions, Resignations and the other on the Spanish Civil War). 

 

Bak is one of the leading scholars of international literary journalism. Founding President of the International Association for Literary Studies (IALJS) in 2006, he is currently a member of the Advisory Board for Literary Journalism Studies. He is co-author with Bill Reynolds of the leading work that brings an international perspective on the topic Literary Journalism across the Globe: Journalistic Traditions and Transnational Influences (Amherst and Boston: University of Massachusetts Press, 2011. xvi + 298 pp.). He is entering his second year as Chaire Franco-Brésilienne at the State University Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP).

Denis Ruellan é professor na Sorbonne Université (França), diretor adjunto da l’Ecole des hautes études en sciences de l’information et de la communication – Celsa. Ele é corresponsável das relações internacionais e pesquisador membro da equipe de acolhimento do laboratório GRIPIC, além de pesquisador associado à unidade mista de pesquisa CNRS Arènes. Ruellan é ainda coeditor da revista científica internacional Sur le journalisme – About journalism – Sobre jornalismo.

Publicou recentemente os seguintes livros:

  • O Cam, F., Ruellan, D., Emoções de jornalistas. Sal e senso de profissão , Grenoble University Press, 2017

DENIS RUELLAN

(Sorbonne Université - França)

  • Ruellan, D., Jornalismo proibido. Modelos de ação sindical , Rennes University Press, 2014

  • Ruellan, D., Nós, jornalistas. Deontologia e Identidade , Grenoble University Press, 2011

 

Foi ainda responsável pela organização das seguintes obras:

 

  • Adghirni, Z., Pinson, G., Ruellan, D., editores, "Correspondentes no Exterior", Sobre Jornalismo - Sobre jornalismo - Sobre jornalismo , Vol 5 no 1, 2016.

  • O Cam, F., Ruellan, D., ed., Mudanças e permanência do jornalismo , L'Harmattan, 2014.

  • Lévêque, S., Ruellan, D., editores, Engaged Journalists , Rennes University Press, 2010.

 

Ruellan tem trabalhado essencialmente sobre jornalismo e comunicação em conflitos. Publicou recentemente o livro Reportères de guerre. Goût et coûts (Presses des Mines, 2018). Nesta pesquisa recém-finalizada sobre a questão do gênero na reportagem de guerra, o autor combina análise de obras autobiográficas, constituição de bibliografias e a cerca de 50 entrevistas sobre a carreira de repórteres mulheres e homens, além de pessoas próximas a elas/eles.

 

Mais recentemente, Ruellan inicou a pesquisa Vietnam, transformations de la guerre, du genre et du journalisme, prevista para publicação em 2022. O estudo se dedica à exploração de arquivos e entrevistas com jornalistas franceses, estadunidenses e vietnamitas que fizeram a cobertura da guerra, bem como a análise de testemunhos escritos. O objetivo é reconstituir como o jornalismo se transformou sob os efeitos conjuntos das mutações das relações de gênero e das modalidades assimétricas da guerra.

Promoção:
Realização:
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now